quarta-feira, janeiro 12, 2005

Incertezas crentes


Se nas palavras pudesse delinear lábios
elas estariam sorrindo para ti
sorrisos rasgados com gosto a madrugada.

Se os olhos fossem tatuados com raios de sol
o meu olhar teria o brilho
das searas de trigo doiradas na terra quente.

Se as mãos fossem elásticas
eu esticaria a ponta dos dedos
percorrendo quilómetros de vazio
até tocar no universo da tua pele.

Se as estrelas pudesse guardar no meu peito
esvaziaria o meu coração numa batida apressada
e roubaria num segundo o luar estrelado à noite.

Se da minha saliva preparasse uma bebida gelada
ela seria doce como o sumo dos morangos
trincados na ternura da paixão com açúcar à mistura
mas deixaria um travo ácido a vodka com limão
nadando no ardor da minha boca despida de beijos.

10 comentários:

Anónimo disse...

Como sempre, são belas as palavras que escreves. Bj**
Luís http://rotacaodostempos.blogs.sapo.pt

blueiela disse...

Luís,

Queria agradecer pela tua presença nos meus Devaneios!!
Enriqueces sempre os poemas com as tuas palavras...obrigado :)


beijos

Blue

Anónimo disse...

Está delicioso. Eu escolheria um bom vinho do Porto.
Bom fim de semana para ti.
João
http://poetasamigos.blogs.sapo.pt/

Luísa Mota disse...

Olá Blue,

Tu tens uma afinidade muito apurada com palavras fortes e intensas.
Tens ainda uma capacidade exímia e notável na transformação das mesmas em autênticos hinos.

Como aprecio ler-te.

1 Bj*
Luísa

blueiela disse...

João,


Um bom vinho do Porto seria o ideal para acompanhar a doçura das palavras ;)
Obrigado pela tua presença sempre simpática neste cantinho!!!

beijos

Blue

blueiela disse...

Luísa,Luísa e Luísa...tu deixas-me sempre sem palavras com essa simpatia que me ofereces :)
É muito bom sentir o teu apreço e as tuas palavras de incentivo que são sempre para mim fundamentais...
Obrigado minha doce...doce...doce amiga!


beijos

Blue

Anónimo disse...

A menina e a vodka!!!!! Doida
Estamos apaixonadas..... estamos estamos!!! hehehe

PBOX

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
blueiela disse...

Então Borges eu é que ando metida lá com o vodka e tu é que escreves a triplicar? ;)
Obrigado por teres lido o poema, mas era desnecessário revelares a toda a gente a minha paixoneta pela garrafa de vodka...isso não se faz!!!
Até porque eu já não tenho nada com ele,por causa do estômago...estamos de relações cortadas:)
DOIDO!!!

beijos

da "Maria Inácia" (recordas-te deste apelido;) )