segunda-feira, novembro 05, 2007

Vives nas Quatro Estações...e eu vivo só...


wonder by *omGermDiggity on deviantART

E se o Inverno chegar
com lábios frios e promessas geladas...
ainda fará sentido
guardar o teu Verão no meu peito?
Sonhar que o sol
foi pintado por ti
numa manhã
só porque querias
afastar melancolias do parapeito da janela?
Talvez a Primavera
seja a estação ideal
para este desejo...
Tem a melodia dos pássaros na algibeira...
as flores para vestires e eu despir...
os rios serenos para prendermos o olhar
e os dias de luz
com poucas sombras a esconder o teu rosto.
Mas por enquanto...
temos o nosso Outono
gravado em todas as folhas caídas.



Daniela Pereira

5 comentários:

Anónimo disse...

olá!!!
Li um dia destes um poema seu num blog "poetas da sombra" ou algo assim semelhante. Confesso que não gostei muito...da inspiração invertida...havia lá algo que me não parecia bem...
quanto a este poema - que é o que importa - achei muito bonito, senti muitas emoções boas, conectadas às "estações"... Se me permite, gostaria de lhe fazer duas perguntas: 1ª porque é que o verso: "afastar melancolias do parapeito da janela?" é tão longo? no meu entender perdeu um pouco da intensidade...
2ª qual o deseja que a primevera é a estação ideal? peço desculpa se o deseja está lá e eu não fui capaz de o detectar...
Um abraço,

Ferreirinho

blueiela disse...

OLá

Muito obrigado pela visita ao Devaneios,Ferreirinho...

Quanto às suas perguntas:

Pois bem...Quando faço um poema, não o faço com a preocupação de conseguir um poema uniforme na sua intensidade ou no seu modo de evoluir.Um poema para mim,transmite momentos e as emoções desses momentos...logo tem que ser uma onda irregular e não um rio certinho.
Por isso a dimensão dos versos, não deve
ser impedimento para uma ideia ou um cenário que queremos visualizar com as palavras.Neste caso..."afastar melancolias do parapeito da janela" teve uma intenção de existir.Falo em "parapeito da janela",porque quero mostrar que a melancolia nos deixa debruçados...entregues aos nossos pensamentos.Por isso para mim faz sentido...se calhar perde a intensidade.Mas se logo a seguir a intensidade é devolvida ao poema..então considera-o um momento de pausa para o leitor respirar.
Quanto à segunda pergunta..."Qual o desejo para o qual a Primavera é a estação ideal?" O desejo não é identificado por uma simples razão...ele é o motivo do poema...a origem de todas as emoções descritas.ESte poema é um diálogo entre duas pessoas..mas só uma tem as palavras na boca.A outra pessoa que não fala e só escuta..é o objecto de desejo.É o sentimento aqui descrito.
Não gosto de escrever as palavras, com a sensação de que toda a gente que as vai ler, as vai sentir da mesma maneira.
Falo de emoções e as emoções são subjectivas às vivências de cada um :)
Espero ter esclarecido as suas dúvidas...no entanto se tiver mais questões,deixo-lhe o meu email,ok?
ielapausas@gmail.com. Sinta-se à vontade para dar a sua opinião e para fazer qualquer pergunta.

beijos

Daniela Pereira

Anónimo disse...

Olá!
Agradeço com grande carinho e apreço a sua dignidade em responder às questões deixadas acerca do poema.
Admiro muito a sua forma de criar poemas, mas admiro também a forma como se defende e opina!
Deixo na mesma a minha opinião relativamente a uma frase sua: "...Por isso a dimensão dos versos, não deve
ser impedimento para uma ideia ou um cenário que queremos visualizar com as palavras." Muitas vezes não é necessário dizer tudo para que o todo seja compreendido - na minha terrinha diz-se: "para bom entendedor meia palavra basta!"- assim, nem sempre é necessário desenhar o cenário com muitas palavras...
Um abraço,

Ferreirinho

blueiela disse...

Ferreirinho

:)Não tem que agradecer...cada pessoa tem direito à sua opinião e eu defendo sempre aquilo em que acredito.
Eu é que agradeço por ter passado pelo Devaneios...Volte sempre!:)


Daniela Pereira

Andreia Ferreira disse...

Muito bonito Daniela!
Olá já agora! :)