terça-feira, maio 27, 2008

Carta à negritude de uma alma...



Foto na Galeria Olhares:http://olhares.aeiou.pt/drown_the_sad_doll/foto1981696.html

Se o tempo pudesse voltar atrás...eu correria atrás dele como louca.
Mas não consigo...só consigo estar parada de pernas cortadas sem ter um passo que me deixe mexer...
Sou árvore sem frutos nem ramos para me proteger do vento que sopra contra o meu corpo estático...sou mais chão de terra que pedaço de estrela por descobrir em noite com a lua a mingar no horizonte.
Estou negra..negra por dentro...mais um pedaço de cinza depois do rescaldo de um incêndio lavrado que o vento ainda não soprou porque ainda exala calor lá de um fundo bem fundo que ninguém alcança...mas que por vezes se sente porque queima ao tocar.
Brancas são as noites deitadas nos lençóis sem coragem para respirar..asfixio gritos cinzentos e suspiros incolores sem ter a mão presa à secura da minha boca.
Se eu pudesse correr em cima do mundo na direcção contrária do inferno, de certeza que iria ver o céu ..nem que fosse apenas de longe. Mas do corpo fiz chama e da minha alma fiz cigarro por fumar..restam-me as lágrimas frias que me decoram o rosto para me apagar sem pressas...Um relógio parou na sala e eu não vi quando as horas desistiram de bater...fez-se silêncio dos risos.


Daniela Pereira
Direitos Reservados

2 comentários:

quETzalcoatl disse...

:)


http://movimento-xexe.blogspot.com

Natur Line Sex disse...

A vida são dois dias.
Ninguém fica cá para semente.
Há que aproveitá-la ao máximo.
Vive cada dia como se fosse o último.

Tudo frases que resumem o teu excelente post. Para ler e reflectir e passar a viver como deve ser. Ou seja, sem medos! Felizes e contentes!
Gostei dos escritos.