sábado, dezembro 25, 2004

Estilhaços


Abro a janela que envidracei no peito
escancarando as mágoas que abriguei numa redoma.
Estilhacei os momentos de cristal
com as pedras que atirei dos olhos sentados na varanda.
Caíram mortos os beijos riscados
com batons de rosas nos lábios entorpecidos
pelo frio de mais uma madrugada apagada.
Fechei os olhos e a janela pintou-se de negro e adormeceu.

8 comentários:

Anónimo disse...

:-) Luís
http://rotacaodostempos.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

testing

Anónimo disse...

Yellow Blue,
Tal como prometido cá estou eu...

A última frase deixa-me intrigado... Se por um lado o poema nos dá uma noção de reacção, de que estás a dar um passo em frente, a última frase mostra um medo desse passo e por isso pintas a janela de preto.

Espero pelo próximo poema para ver....

Beijocas.
PBOX

blueiela disse...

PBOX,meu "gajo raro" :)

Realmente encontras-te o sentido do poema com facilidade...pelo menos o teu sentido!
Quando escrevi este poema a ideia era descrever um momento de desabafo para expulsar os sentimentos..."Abro a janela que envidracei no peito escancarando as mágoas que abriguei numa redoma..."
O verso que te deixou intrigado... "Fechei os olhos e a janela pintou-se de negro e adormeceu."Não é mais do que a chegada do alívio depois desse desabafo...já não existem mais pensamentos a perturbar resta fechar os olhos e adormecer suavemente.
É que escrevi este poema à noite antes de adormecer...num momento em que os pensamentos nos visitam ;)
Obrigado por visitares o meu cantinho e por estares a comentar os poemas... és um amigo fiel!!!


beijinhos enormes

Dani

blueiela disse...

luís,


Obrigado pela tua presença na leitura dos meus poemas!!



beijos

Blue

Jorge O disse...

Mais uma vez uma boa surpresa, um grande poema e mais mil e um sentimentos expressos em menos de dez versos.

Parabéns Blueiela

P.S. És de Aveiro? Já somos dois...;) se bem que já não vou lá há quase dois anos.

blueiela disse...

Jorge,

Olá, obrigado por saltares até ao meu cantinho :)

Sou do distrito de Aveiro,mais precisamente de Ovar, mas estudei aliás ainda estudo na Universidade de Aveiro...estou a fazer uma pósgraduação e por isso tenho matado as saudades de Aveiro recentemente!

Fiquei muito feliz com as tuas palavras...


beijos

Blue

Duarte Temtem disse...

Olá Daniela.

Já comentei este poema no fórum, mas gosto tanto deste poema que tive que o fazer aqui novamente.
Está lindíssimo! E o blog também, os meus parabéns! Já está nos favoritos :)

Bjs