sábado, março 19, 2005

Naufrágio a dois


Mergulha no meu mar bravio
e rasga as minhas ondas
com as tuas mãos salgadas.
Despe a minha pele na areia molhada
e lentamente faz do meu corpo uma maré vaza.

Deixa os meus pedaços
espalhados nas dunas
e enlaça a tua boca de água
nos meus lábios de algas vermelhas.

Sente a tempestade desbastando a tua língua
num turbilhão de sensações
e ouve as rochas gritando os nossos nomes
enquanto os nossos corpos ondulam excitados.

Escuta o silêncio cantando para nós
murmurando baixinho em sintonia com as gaivotas
que sobrevoam as nossas cabeças
esperando os restos despojados desta loucura.

E quando a primeira estrela
desenhar o seu brilho no céu de prata
naufraga a tua alma na segurança do meu peito e adormece.

2 comentários:

Luísa Mota disse...

Meu Deus, Blue.....tu simplesmente "acabas" comigo!!!!!
A tua escrita é de tal maneira forte e sentida, que chega a doer-me....mas uma dor boa...daquelas do coração, com admiração total.

És plena quando pegas na caneta e no papel.

1 Bj*
Luísa

blueiela disse...

Minha doce Luísa :)


Pois é amiga, este é o meu mal ...sentir tudo com demasiada intensidade depois quando fico sozinha com a caneta deixo que ela pinte as minhas lágrimas e contorne os meus sorrisos!
Se a dor que sentes quando lês o que escrevo,for boa...daquelas que aliviam a alma,então abusa das minhas palavras...


Todos os beijos que conseguires guardar nesse coração de prata...partilha-os com a tua pipoquinha por mim,ok?

beijinhos

blue