segunda-feira, julho 04, 2005

Na calada da noite



Tenho saudades...
Do meu todo
Do teu nada
Daquele tempo que eu parava
sem precisar de abanar o relógio
retorcido na apressada caminhada dos minutos.
De tatuar mais um beijo abafado
numa almofada de palavras aconchegantes
escritas no silêncio de uma noite de cetim.

Da lua a rasgar o céu
com lâminas de prata
deixando desejos fragmentados
incorporados nas estrelas
que brilhavam solitárias
no vazio do meu regaço.

Dos meus olhos escuros
projectando sombras na parede
na presença de um sol
encalhado nas pestanas
e repartido com generosidade
numa pele morena arrefecida
na frieza de uma solidão.

Tenho saudades...
De sorrir
com a boca enfeitada de rosas rubras
e a satisfação
espelhada nos lábios
pintados de fresco.
.
Do aroma
a maresia
que os teus olhos
espalhavam nas tardes partilhadas
na transparência de uma tela de vidro.

Da onda de calor invadindo o inverno dos nossos corpos
deitados numa lareira imaginada por mim
com a chuva pingando dos dedos
sempre pronta a apagar alguma chama esquecida por ti
antes de partires para o teu mundo real.

Tenho saudades
e este sentimento não me abandona nem por um segundo
mesmo depois de ter tentado mil vezes
na calada da noite
afogá-lo num imenso mar de lágrimas sorridentes.

Daniela Pereira 04/07/05

9 comentários:

Luís disse...

Tenho saudades. Tambem eu.

blueiela disse...

Luís



Só posso desejar que essas saudades se atenuem...
Obrigado pela visita:)

beijinhos

Blue

Carlos Costa disse...

Há muitos motivos para termos saudades,o passado pode tornar-se um motivo entre muitos. Foi pena não puder estar presente no teu momento de glória, mas posso imaginar como terá corrido. Deste um discurso talvez, alguém leu em público os teus poemas. Isto sou eu a imaginar, não leves a mal. Quando nos realizamos, a felicidade parece absoluta ou interminável. Posso imaginar o que sentiste naquele momento.

Beijos

Carlos Costa

Oblivion disse...

Ora aqui está um belo poema sobre a saudade. Identifico-me bem com o sentimento, bem demais até...

Leônidas Arruda disse...

Seus poemas são belos como o arco-íris, trilham rastros de estrelas e amadurecem nossos corações.

blueiela disse...

Carlos,


Obrigado pelo carinho das tuas palavras e pela força que ofereces nesta concretização de um pequeno sonho com um significado enorme para mim.;)
A saudade é para mim um dos sentimentos mais marcantes...provoca aquela dor fininha envolta numa tristeza morna e passageira que não te deixa esquecer a presença de uma ausência prolongada.

beijos

blue

blueiela disse...

Oblivion,


A saudade é assim...sorrateira, disfarçada com sorrisos recordados e muitas vezes afogada com as lágrimas mais transparentes dos nossos olhos.
As palavras são os lenços mais macios para enxaguar a dor cravada no olhar...

beijinhos

blue

blueiela disse...

leônidas arruda


Bem vindo a este humilde cantinho de poesia :)
Aqui desabafo, choro e sorrio sempre que a alma solicita...
Visitei o seu espaço poético e adorei a visita ao seu mundo de palavras intensas e sentidas.
Sei que vou voltar!
Obrigado pela visita e pelas palavras de apreço ao poema...muitíssimo obrigado.

um beijo

blue

Leônidas Arruda disse...

Daniela, voltei para navegar estes mares e agradecer sua passagem por nosso sítio. Seus poemas falam a língua de um sonho adormecido.