terça-feira, fevereiro 03, 2009

Poeticamente falando de corpos para prosear a alma




"A aproximação"....


Ele e Ela..Ela e Ele..

Ele sorriu para ela e ela sorriu para ele e como duas crianças sorriram os dois.Ele deu-lhe palavrinhas doces e desenhou-lhe flores no papel,dizendo que o coração dele batia mais alto.

E Ele chorou dizendo a Ela que o mundo só lhe queria fazer mal..que todas as almas que encontrou lhe pareciam vazias e que estava cansado de falhar...

Ela achou tão bonito que todos os gestos dele lhe pareciam especiais..e lá ficaram eles de mãos dadas mesmo com elas separadas por duas telas envidraçadas trocando sorrisos envergonhados à espera que um milagre molecular acontecesse...

E Ela achou que era bom voltar a ser criança,para acreditar em histórias de encantar e em promessas feitas com a cabeça encostada nos ombros e os olhos a brilhar.

E Ele prometeu que ela ia sonhar e ele ia pintar-lhe o retrato com a tinta negra que lhe escorria dos olhos..fez-lhe festas nos cabelos e enrolou-se no corpo dela como se ela fosse uma onda que o iria tragar...e Ela abraçou-o despida de preconceitos e plena de sentimentos jurou que o ia amar...e amou..

Doces são as palavras...

e doces foram as verdades não contadas

para a magia não fugir...

Belos foram os dias percorridos de mãos dadas

e com sorrisos acabados de tingir...

Belas foram as noites e as madrugadas

com o peito inocentemente a sorrir..

Doces são as palavras..

e doces são os malmequeres que desfolhamos a preceito

saltando pétalas só para ouvir "que bem que me queres"

da flor mais querida que apertamos com carinho nos dedos...

E as doces palavras sobem-nos à cabeça como nos sobe o espumante para nos apagar as memórias e as tristezas...

E o mundo mais uma vez é lindo..e tem estrelas que nunca mais acabam traçadas nas caudas dos cometas...e o mar imponente deixa de meter medo e inspira-nos a mergulhar...e os pudores deixam de existir e o nosso corpo já se despe rotineiramente até ao topo da alma..e até o pó nos cheira a rosas e as pedras da calçada posso jurar que cheiram a jasmim...

Vamos falar de amor nas próximas linhas?...

Não..vamos falar de corpos e de sedes avultadas ..

Daniela Pereira in Poeticamente falando de corpos para prosear a alma

2 comentários:

Mag disse...

Vim-te visitar, amiga... e mais uma vez dizer que me deleito e revejo na tua forma de escrita!
Se te apetecer dar uma espreitadela ao meu cantinho, a porta está para ti aberta...
http://laranjapreto.blogspot.com

Margarida

braulio disse...

olá daniela
que belhas palavras simplesmente alucino ,...


un beso