terça-feira, maio 26, 2009

pequeno...ALMOÇO





Doi-me o céu do meu corpo e alimentá-lo a estrelas cadentes já me enjoa...
Doi-me o jardim da minha alma e plantá-lo com nespereiras já não me mata a fome...
Sinto os sonhos a vomitarem por mim mesmo de estômago vazio..este chá arranha-me a garganta mas não sais para fora nem com um impulso vesicular...chove-me o coração por dentro em gotas de chumbo grosso.
Um analgésico para as dores, porque o corpo precisa!
Um analgésico para a alma porque desconfias da inteligência que te bate à porta e te diz..."cuida de ti" e loucos são os outros de quem sempre quiseste cuidar e hoje te chamam assim sem pensar em ti....
Doi-me a palavra que não disse com bolachas e chocolates a entupirem-me a boca...
Doi-me a palavra que disse com chá de limão na língua...
Doi-me a frase que deixei sair polvilhada a sal...
Soro açucarado para as veias porque o teu corpo desidratou...
Não há um soro açucarado para espetar em cheio no coração quando o dia amarga?....

Daniela Pereira in "Resíduos vesiculares"
Direitos Reservados

foto na galeria olhares: http://olhares.aeiou.pt/pequenoalmoco_foto2796643.html

6 comentários:

Margarida Piloto Garcia disse...

Comecei o meu dia lendo este texto.Dei por bem empregue o tempo.

blueiela disse...

Margarida,é sempre bom receber-te aqui...

Um Bom Domingo para ti

beijinhos azuis:)

Paula Raposo disse...

Um enorme prazer conhecer-te. Beijos.

Vagabundo Social disse...

Gostei do "Pintas Com Morangos". Está engraçado. E´ uma poesia que me deixa a pensar no que significa... Gostei de ver e ouvir a declamação.

Luís Miguel - flautas disse...

gosto de ler os teus versos.
(e olha que não é fácil eu encontrar poesia que goste mesmo)
por isso, estou muito contente por ter-te encontrado...

blueiela disse...

Paula... O prazer é todo meu:) ESpero que consideres este cantinho,uma porta sempre aberta...

Vagabundo Social- Obrigado pelo apreço e por teres gostado da declamação...com alguns problemas técnicos mas uma enorme vontade de mostrar que as palavras ñ têm que ser lidas em silêncio porque têm voz;)

Luís

:) Obrigado pela honra de fazer parte das palavras que ainda aprecias ler...ñ tenho uma poesia fácil de engolir,mas algumas pessoas conseguem senti-la e isso é uma delicia para mim.


beijinhos para todos

Daniela Pereira